Notícia - Encontrada amostra de plutónio usada em bombas do Projecto Manhattan

Investigadores norte-americanos anunciaram ter encontrado, num depósito de lixos radioactivos, aquela que é a mais antiga amostra de plutónio produzido num reactor nuclear com vista ao fabrico de armas nucleares. A amostra, contida numa vulgar garrafa de vidro, constitui uma “relíquia” do Projecto Manhattan, desenvolvido durante a II Guerra Mundial e que culminou nos bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki.

Segundo a BBC online, a garrafa foi encontrada em Dezembro de 2004 por pessoal responsável pela limpeza de um aterro em Hanford, no estado de Washington (Costa Oeste), onde funcionou aquela que foi a primeira unidade mundial de produção de plutónio, a partir do reprocessamento de combustível usado em centrais nucleares.

A garrafa, que estava dentro de um cofre enterrado no local, continha um “líquido pastoso branco” e análises posteriores vieram confirmar que se tratava de plutónio processado naquela unidade em 1944, a partir de urânio usado num reactor experimental no Tennessee, em funcionamento desde o ano anterior, ao abrigo do Projecto Manhattan.

Segundo os investigadores, parte deste plutónio foi usada no Trinity, o primeiro ensaio de uma arma nuclear, realizado a 16 de Junho de 1945, e na bomba atómica largada sobre a cidade japonesa de Nagasaki, dois meses depois.

Os investigadores afirmam que mais do que o valor histórico do achado, a “arqueologia nuclear” que lhes permitiu identificar esta amostra será útil no avanço das técnicas forenses usadas para localizar a origem de materiais nucleares que sejam desviados.



Público